Alunas participam de competição de mediação na França

As alunas Talitha Caldeira, formada em 2011 e Giovana Baptista, formada em 2012, participaram da Mediation Week este ano. A competição é organizada pela Câmara de Comércio Internacional de Paris (ICC) e atrai estudantes de Direito de diversas partes do mundo.

Talitha

Talitha Caldeira

O objetivo do evento é simular situações de mediação comercial, ou seja, a resolução de conflitos através do protagonismo das partes envolvidas com o auxílio de um mediador.

Giovana Baptista

Giovana Baptista

Na atividade promovida pela ICC, os times de cada universidade fazem o papel das partes na negociação e o mediador é um profissional da área.

Talitha, que foi como representante da PUC (Pontifícia Universidade Católica), conta que para poder participar este ano, ela teve que passar por uma preparação que se iniciou em março de 2014 e foi até Janeiro de 2015, um mês antes da competição. Da turma de inscritos, só 4 oradores foram selecionados para participar na França.

Segundo ela, a experiência foi incrível e única. “Queria poder ir de novo, mas cada aluno só pode participar uma vez na vida, por norma da competição”, afirmou. A estudante ainda expressa felicidade por que o time da PUC ganhou o prêmio de melhor equipe estreante do evento.

Já Giovana participou da competição como oradora da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e assim como Talitha, passou por uma preparação antes de ir. “Já que a equipe tem apenas 4 pessoas, você recebe um treinamento totalmente personalizado e voltado para desenvolver suas falhas algo que é impossível fazer em uma sala com 30 alunos”, comentou. “Fui treinada por um dos melhores mediadores do mundo, e posso dizer que ter aprendido um pouco mais sobre a ‘arte da negociação’ mudou minha vida. Nós não percebemos, mas todos os dias estamos negociando”, completou.

A aluna também já havia ido a outro evento semelhante promovido pelo Tribunal Penal Internacional em Haia, o International Criminal Court Moot Competition e diz que as competições são a melhor experiência acadêmica para estudantes de Direito. “ Foi através delas que eu encontrei as áreas do Direito que eu sou mais apaixonada, que são os Direitos Humanos, o Direito Penal Internacional e Direito Humanitário, lidando com conflitos e guerras”, finalizou.

Aluno é aprovado em Mestrado na Yale University

Rogério Park, formado em 2005, foi aprovado no programa de mestrado da Universidade de Yale (EUA). O aluno iniciará seus estudos em Administração de Negócios (Business Administration) em agosto deste ano.

rogerio_park

Graduado em Engenharia Elétrica na POLI (Escola Politécnica da USP), o aluno recebeu uma proposta da empresa McKinsey & Company, onde trabalha, para fazer MBA em Administração fora do país. Também influenciou na sua escolha o fato de ter feito intercâmbio para estudar “Business” na Seoul National University durante a faculdade e de ter trabalhado por um ano no banco HSBC, enquanto aplicava para o mestrado.

O estudante conta que o processo de admissão foi bem rigoroso e durou cerca de um ano. “Tive que realizar uma prova de aptidão lógica e verbal em inglês, o GMAT, e um teste de proficiência, o TOEFL, enviar históricos escolares, redações, cartas de recomendação, currículo, e realizar entrevistas. É bem difícil conciliar todas essas exigências com o trabalho”, comentou.

Sobre a influência do Bandeirantes em sua conquista, Rogério destaca a formação não só acadêmica, mas pessoal que o Colégio lhe proporcionou. “Acredito que o aprendizado do conteúdo não era por si só o objetivo final. Os professores faziam um uso constante do conteúdo para desenvolver outras capacidades como desafiar o óbvio, pensar nas implicações e superar os próprios limites”, declarou.

Ele ainda ressalta a importância da rede criada por estudantes formados no Colégio. “Também, o networking com outros alunos de décadas anteriores foi importante. Posso afirmar que, ao longo de minha, ainda que curta, carreira, encontrei diversos alunos que me ajudaram. É interessante ver como o nome ‘Bandeirantes’ une as pessoas”, completou.

Aluna pesquisa golfinhos em mestrado

Júlia Molina, formada em 2008, realiza pesquisa com golfinhos no litoral sul de São Paulo. Desde abril de 2014, ela faz parte do Laboratório de Biologia da Conservação de Mamíferos Aquáticos (LABCMA) do Instituto Oceanográfico da USP e em fevereiro deste ano, iniciou o mestrado.

julia_molina

A aluna conta que o interesse por golfinhos e baleias surgiu desde pequena, ao ganhar livros sobre estes mamíferos pelos familiares. Também, o que a chama a atenção é o fato desses animais terem grande adaptação no meio aquático e uma organização complexa de sociedade.

Além disso, Júlia trabalhou em uma ONG na Inglaterra chamada Cetacea – ORCA, fazendo monitoramento embarcado de baleias e golfinhos. Atualmente, ela faz parte do Projeto Atlantis, do LABCMA, que, entre outras ações, monitora a população de golfinhos (boto-cinza, Sotalia guianensis) residente no estuário da Cananéia. Lá, Júlia passa de 2 a 3 meses à procura de grupos de golfinhos.

“Quando avistados, nós medimos algumas variáveis ambientais como salinidade e acompanhamos o grupo por tempo suficiente para que todos indivíduos sejam fotografados”, contou. “Também tomamos nota de dados de comportamento dos animais, tamanho de grupo, presença de filhotes entre outros”, acrescentou.

A proposta do projeto é de responder perguntas pertinentes à ecologia e conservação da população de acordo com aspectos de distribuição de golfinhos pela região, comportamentos predominantes, dinâmicas sociais e tamanho de população.

Sobre a influência do Bandeirantes em sua formação, ela destaca o desenvolvimento de pensamento crítico. “Para mim o Band estimulou muito o olhar crítico e a capacidade de articular ideias e saber expressá-las. Esta herança é valiosa e permanente em nosso dia a dia.”  E ainda completou: “Além disso, o apoio constante dos professores de Biologia, seu amor pelo que fazem e suas aulas incríveis foram sem dúvida um dos maiores estímulos e exemplos que tive. Serei sempre grata”.

Reencontro das turmas 1990 e 2005

Quem passou pelo Bandeirantes, sabe que o Colégio é inesquecível para os seus alunos. Assim, pensando em proporcionar um momento para reunir amigos queridos, rever professores marcantes e relembrar os famosos tijolinhos, o Band organiza o encontro de 25 e 10 anos de formados.

F Z (87)

Este ano, as turmas de 1990 e 2005 poderão reviver seus momentos no Colégio, no dia 19 de setembro.

DSC01683

O evento conta, primeiramente, com um coquetel, no qual os estudantes poderão se reencontrar com antigos colegas. Logo depois, é oferecido um almoço, seguido por uma visita dos professores, que sempre comparecem para ouvir histórias e saber sobre como andam os alunos após esses anos.

DSC04061

Para encerrar, todos poderão passar por todos os lugares que fizeram parte da vida deles durante os anos de Band.

FZ (259)

O reencontro é um modo de manter o vínculo do Colégio com seus alunos e proporcionar um ambiente em que eles possam reviver os momentos que marcaram uma fase tão importante da vida.

DSC04057

Além disso, é uma oportunidade de colecionar lembranças de um lugar e de pessoas que tiveram um papel importante em sua formação pessoal e profissional.

F Z (54)

Para garantir presença no reencontro das turmas de 1990 e 2005, os interessados devem entrar em contato pelo telefone do Band (11) 5087-3520 ou 5087-3521 e tratar diretamente com o Departamento Cultural. Os convites poderão ser adquiridos até o dia 10 de agosto.