Aluno cursa pós-graduação em Direito Desportivo em NY

Américo Espallargas, aluno do Band formado em 2007 e integrante da primeira turma de direito da USP Ribeirão Preto, está em Nova York realizando pós-graduação em Direito Desportivo.

americo

Durante a faculdade, Américo não sabia ao certo a vertente do Direito que iria seguir, contudo, as dúvidas desapareceram depois de uma aula optativa sobre Direito Desportivo em seu último ano. Depois de graduado, trabalhou três anos nesta área, quando decidiu realizar uma pós-graduação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC).

Em 2016, buscando ainda mais aprofundamento, começou os programas de “Master Science in Sports Management” e “Global Sports Law”, coordenados pela Universidade de Columbia e o Instituto Superior de Direito e Economia (ISDE), de Madrid.

“O Band me proporcionou muitas oportunidades no currículo e fora dele. No MONU–EM, por exemplo, descobri grande parte das minhas habilidades que eu uso hoje no mercado de trabalho, como a arte de negociar, discutir e me pronunciar em público. Além disso, o Idade Mídia me ensinou a fazer investigações e pesquisas com maior enfoque no objetivo. ”, finalizou Américo.

Aluna é admitida em Mestrado no Reino Unido

Stephanie Koutny, formada em 2012, foi admitida no programa da Mestrado da Queen Margaret University, Reino Unido. A aluna iniciará seus estudos em Cultural, Arts and Festival Management (Gerenciamento de Cultura, Arte e Festival) em setembro deste ano.stephanie_1Sempre interessada pela ideia de estar imersa em outra cultura e idioma, Stephanie cursou International Business na Grenoble Ecole de Management, na França. Para isso, ela contou que teve ajuda dos professores Olavo de Amorim, coordenador de Inglês e Assuntos Internacionais, e Carlos Oliveira, coordenador de Matemática. Ambos forneceram cartas de recomendação, conselhos e correções de textos. Além disso, os professores responsáveis por orientação profissional, Osmar Ferraz e Roberto Nasser, a auxiliaram em relação a decisão do curso durante a 3.a série.

Já o processo para o admissão no Mestrado, ela precisou enviar notas da faculdade, uma redação explicando o motivo da aplicação para o curso e o porquê da escolha da universidade, duas referências acadêmicas e uma profissional, além da comprovação de um curso, de no mínimo dois anos, totalmente em inglês.

Sobre a importância do Bandeirantes para a sua formação, ela destaca dois valores: ambição e coragem. “Eu tento aplicar esse mesmo pensamento nas minhas atividades cotidianas e toda vez que mudo de país ou de cidade. Também sempre acredito que meus objetivos vão ser realizados com o devido esforço e dedicação”, declarou.

“Eu vejo a Stephanie como uma história de sucesso no Bandeirantes. A conquista dela mostra o brilhantismo individual do estudante, que unido ao apoio da família e do Colégio, pode levar o aluno a qualquer lugar”, afirmou o professor Olavo.

Aluna é admitida na Universidade Georgetown

Beatriz Bechelli, que se formou em 2014, foi admitida na Universidade Georgetown, localizada em Washington, capital dos EUA. A aluna foi aprovada no departamento da universidade voltado para relações internacionais, que conta com milhares de estudantes vindos de mais de 70 países diferentes.

Beatriz

Beatriz contou que sempre gostou de viajar e o interesse em estudar em uma instituição internacional começou ao frequentar palestras e feiras internacionais no Colégio. “Tive a oportunidade de ser exposta à possibilidade de estudar fora de maneira mais séria. Por isso passei a me dedicar racionalmente a alcançar esse sonho”, explicou.

O coordenador de Assuntos Internacionais José Olavo de Amorim destacou a preparação tanto acadêmica quanto pessoal da aluna. “A Georgetown possui enorme prestígio por isso vai ser uma ótima oportunidade para a Beatriz desenvolver seu potencial em relações internacionais”, comentou, destacando a participação da aluna em diversas atividades extras.

georgetown

Universidade Georgetown

Ela também destacou o incentivo e apoio de professores e colegas ao longo da sua preparação. “O sentimento de poder, talvez, ‘abrir as portas’, que um dia foram abertas a mim pelo exemplo de outras pessoas, me traz muita satisfação”, contou.

Idel e Olavo homenageados em Stanford

Idel Waisberg, aluno formado em 2009, graduou-se na Stanford University School of Engineering em Engenharia Elétrica e Física e recebeu o Frederick Emmons Terman Engineering Scholastic Award. Durante a cerimônia de premiação, ele escolheu homenagear o Coordenador de Língua Inglesa e Assuntos Internacionais do Band, Olavo de Amorim.

olavo001

Idel  e  Prof. Olavo

“Foi muito difícil escolher apenas um professor como convidado, visto que eu tive vários excelentes e influentes professores na minha passagem pelo Band. A escolha pelo Olavo, que de uma certa forma foi representativa de toda escola, se deu porque, além de meu professor de Inglês, ele também teve um papel fundamental como mentor para minhas applications internacionais”, explicou Idel.

idel_olavo3

“Ter sido convidado pelo Idel para homenageá-lo e também ser homenageado foi uma honra e um privilégio. Nesses momentos de reencontro, o professor revê a missão que é a de criar possibilidades, abrir caminhos e ir além do que simplesmente transmissão de conhecimento”, comentou o professor Olavo, que participou da cerimônia na sede da Universidade de Stanford  na Califórnia.

idel_olavo1

Idel foi o primeiro brasileiro contemplado pelo Terman Award; recebeu este por estar entre os 5% dos melhores alunos de Engenharia.

idel_olavo2

“Sinto um orgulho intenso e muita satisfação pelo Idel ter recebido esse prêmio”, comenta o pai do aluno, Jaques Waisberg, formado em 1969 no Band. “O Bandeirantes possui uma preocupação muito parecida com as escolas dos EUA, focado na formação de cidadãos. Isto certamente favoreceu também na aprovação dele em Stanford”, completou.

Terman Award Speechs at Stanford University

“When I applied to Stanford, foreign applications were not ubiquitous in Brazil as they have become today. In fact, I grew up convinced that I would study in a Brazilian university until the end of my last year of high school, when a series of workings of destiny culminated with me coming to Stanford.

There are obviously several people from my Brazilian high school – Colegio Bandeirantes – to whom I feel indebted for this opportunity, and in a way I see Olavo as representing all those teachers I could not invite to this occasion. On another way, however, I must thank him personally as well, not only for being an outstanding English teacher – one that approached the language at an unusual, heuristic angle, and for whom language is not only a tool, but an Art and a probe to new cultures -, but more importantly for being a great mentor – without whose direct and indirect support I would most certainly not be standing here today. He dedicated a life and career to a school and its students, becoming a kind of heirloom to our school, and has in one way or another touched many students’ lives forever – including mine. I remember his wise words when my parents and I had second thoughts about my studying abroad; I remember his unshaken encouragement when I was faced with my shaken self-confidence; I remember his congratulatory words when I, still doubtful, achieved my goals. While this long journey in both time and space has been as challenging and as it has been enriching, and even though I’ve had my share of nights of homeland reminiscence and of turning over what was and what isn’t anymore, I must say that this experience- which has shaped me not only as a scientist and an engineer, but also as an artist and human being – has been ultimately very enjoyable and undoubtedly unique. And for such uniqueness, the kind of once-in-a-lifetime experience that renders the character of a man permanently and whose ramifications cannot be clearly envisioned, I must thank Olavo – his teaching, his mentorship, his trust, his transcending of a teacher’s responsibilities and courtesy into the realms of kindness and friendship.

For this remarkable positive influence, I felt it appropriate that he be my invited high school teacher today. And to the golden opportunity of having him as a teacher and mentor, I own, in great part, my conviction in hard work, my appreciation for cultures and languages, my undefiled passion for knowledge and my shy daringness to face fearsome, one-of-a-kind opportunities.

The very person I am today and the one I will become tomorrow could not and will not exist without the solid basis imprinted on me by my past, and your positive influence, Olavo, will always be there, somewhere within.

Shall it echo throughout my life.”

-Idel Waisberg

 
“It is easy to get lost for words when so much emotion takes over our heart.

I must confess that when I got Idel’s email inviting me to be with him here today, the first question that sprang to my mind was: What have I done to deserve such an honor?

Participating in this ceremony today at Stanford University is a matter of great honor and privilege, which I share with the Board of Directors and my colleagues at Colegio Bandeirantes far down in Sao Paulo, Brazil.

Colegio Bandeirantes, which has a remarkable presence in the educational setting in the country, is a traditional secondary school considering its age – 70 this year – but modern in its proposal, rooted in solid values which have guided students throughout decades. Having dedicated professionals who deal with lively and bright kids in a nurturing environment, Bandeirantes has continuously and consistently served education with a strong sense of purpose: to foster academic mindsets and prepare qualified human beings to perform responsibly in the most diverse fields of our society.

This moment epitomizes the perfect combination of the talent of one student, his competence, his sharpness of mind, his determination, his willingness to take risks, his no sense of intimidation, his belief in himself, with an extraordinary human being – this perfectly portrays Idel, one of the awardees. Inevitable flashbacks jump to my mind right now bringing back the years Idel was with us for his high school years and the several appointments with him and his family, particularly his father, in preparation to apply to universities in the US, being Stanford his choice. And what a choice! Idel consistently ranked among the top 5% at our school as well and by all means he is a remarkable presence among our alumni, whom we take great pride in and who have significantly contributed to the improvement of our society.

Handing out such a distinguished award to Idel makes me think of the responsibility of those at stake whose mission is to a great extent to help students grow, showing them the way, opening doors that ultimately will depend on them and in this way it encourages me to keep up with my work.

I admire Idel for his impressive achievements and for the extraordinary human being he is and on behalf of my directors, colleagues, and staff, I wish him all my very best in his future endeavours.”

-José Olavo de Amorim

Formada no MIT, rumo a Princeton

10154691_10202836513406483_732298725_nClarissa Forneris, aluna do Band de 2008, graduou-se ano passado em Química no MIT (Massachusetts Institute of Technology) e iniciará, em setembro de 2015, doutorado em Química Orgânica, na Universidade de Princeton. Devido à flexibilidade das disciplinas, durante sua graduação, ela cursou diversas aulas de Biologia, Física e até História.

“Nunca realmente acreditei que estudar no exterior fosse uma possibilidade real e só pensei no assunto mesmo durante a 3.a série do Band. Na época em que fiz minha application, há uns 5 anos, as informações sobre o processo não eram facilmente obtidas nos jornais”, conta Clarissa.

“Era um sonho bem obscuro e cada vez que eu vejo a ideia de estudar fora se difundir mais, fico super feliz!”, comenta.

Clarissa ressalta que “a cultura meritocrática do Band fez toda a diferença para o processo de application e para a formação de caráter e ética de estudo e trabalho”. “Além disso, o ensino de primeira e as oportunidades de fazer várias atividades extracurriculares ajudaram bastante”, comentou. “A máxima que sempre carrego comigo que desenvolvi no Band é dar o melhor em tudo e realmente se envolver naquilo que se está fazendo”.

“Ela era uma excelente aluna. Desde os primeiros contatos, percebi sua determinação em estudar nos EUA. A aprovação no MIT provou a qualidade e preparo de Clarissa. Isto confirma que a aprovação em uma universidade internacional é possível desde que se tenha uma excelente preparação acadêmica e qualidades pessoais que fortaleçam seu perfil” comenta Olavo de Amorim, coordenador de Língua Inglesa e Assuntos Internacionais.

Sobre o MIT, ela comenta que “o interessante é que todas as pessoas que estão lá são brilhantes de alguma maneira. Então, o que vale mais é aprender ao máximo com cada um, para que todos cresçam juntos. Mas, claro, existe bastante competição também, em um nível bem alto”.

Caindo no Brasil

caioO ex-aluno e jornalista Caio Dib, criador do projeto caindonobrasil (www.caindonobrasil.com.br), viajou pelo país em 2013 para conhecer realidades e práticas educacionais inspiradoras do Brasil. Agora, iniciou uma campanha de financiamento coletivo (catarse.me/caindonobrasil) para publicar um livro com 14 destas iniciativas.

Em 2013, Dib viajou por 58 cidades em 12 Estados e Distrito Federal. “A ideia era andar pelas cidades e conhecer as diferentes realidades brasileiras. Junto com isso, queria muito conhecer iniciativas que realmente trabalhassem de maneira criativa e efetiva para um processo de aprendizado mais rico e que forme para a vida”, explica o ex-aluno, que rodou mais de 17 mil quilômetros de ônibus.

O resultado da viagem, além de diversas palestras e rodas de trocas de ideias por todo o país, é a publicação do livro Caindo no Brasil. “No segundo semestre e no início de 2014, fiz uma intensa pesquisa para entender como essas práticas surgiram e quais foram suas bases e inspirações. Também busquei interpretar como os discursos refletem no cotidiano educacional”, explica Dib. Ele também buscou entender como cada prática se relacionava com as realidades locais.

O financiamento coletivo no Catarse possibilitará a produção deste livro. É possível contribuir com apoios a partir de R$10. Todas as contribuições podem ganhar recompensas como descontos em cursos e exemplares do livro. Confira mais em www.catarse.me/caindonobrasil.

Ex-aluna arrecada fundos para produção de curta

A ex-aluna Elissa Akemi Suzuki, formada em 2012, está envolvida no filme “Raiz”, na Academia Internacional de Cinema. Ela é também aluna da Universidade Mackenzie.

aluna_elissa

Contando com uma extensa equipe de produção, 25 pessoas trabalhando de forma voluntária, a ideia é produzir um curta metragem financiado por uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo via internet), disponível no site Catarse.

“É um filme que conta a história de um casal de idosos, que mora em uma casa que está sendo ‘consumida’ por uma grande árvore. Na história, portanto, procuramos aproximar a metáfora do ruir da casa com o envelhecimento do ser humano”, explica Elissa.

Para colaborar com o crowdfunding e produção do curta, acesse o link http://catarse.me/pt/raiz para doar e não deixe de conferir a página no facebook, clique aqui.

Ex-aluna no marketing da Globo Condé Nast

Formada em 2001 no Band, a ex-aluna Andrezza Mastiguim percorreu um trajeto de sucesso no ramo da administração e marketing de empresas: sem nunca deixar de seguir suas aspirações pessoais, ela investiu fortemente em uma formação acadêmica em duas graduações e uma pós, que a levou ao cargo de gerente de marketing das revistas da Edições Globo Condé Nast (Vogue, Glamour, GQ e Casa Vogue).

andrezza_1

Assim que concluiu o Ensino Médio, Andrezza iniciou seus estudos em Administração Pública, na Fundação Getúlio Vargas, e em Direito, na PUC. “Acabei cursando as duas faculdades nos dois primeiros anos. No terceiro ano, tranquei o Direito para estagiar pela FGV e depois fazer intercâmbio para a França. Ainda fiz mais um ano de Direito, mas acabei seguindo pela Administração”, explica.

Ao concluir a sua primeira graduação, interessou-se por um mestrado oferecido pela FGV, intitulado CEMS – Community of European Management Schools, que proporcionava a formação com duplo diploma (acadêmico pela EAESP FGV e profissional com o diploma do CEMS).

Embarcou, assim, para as universidades de HEC em Paris e ESADE em Barcelona, onde ganhou uma bolsa de estudos da L´Oréal e um estágio ao fim de um curso na matriz francesa da empresa.

“Esse mestrado, certamente, foi o divisor de águas na minha carreira. Além de ter estudado com a elite intelectual dessas universidades, tive a oportunidade de fazer um networking incrível com meus colegas, que hoje estão super bem empregados e professores, CEOs de algumas das empresas mais importantes da Europa”, pontua Andrezza.

Com fim do mestrado, e após um ano como gerente de Maybelline, ainda associada à L’Oréal, assumiu a gerência da Yves Saint Laurent Beauté, onde administrou toda a operação de maquiagem e perfumes da marca no país. Finalmente, depois de dois anos na marca, foi contratada para trabalhar como gerente de marketing das revistas da Edições Globo Condé Nast (Vogue, Glamour, GQ e Casa Vogue), onde trabalha há mais de um ano. “Somos basicamente responsáveis por tudo que toca a marca e não é conteúdo editorial: eventos, circulação (distribuição, vendas e assinaturas), relações públicas entre outras tarefas”, comenta, explicando sua função atual.

Por fim, a ex-aluna ressalta ainda que o Colégio teve um papel fundamental em suas escolhas e oportunidades profissionais. “O Band abriu um horizonte de oportunidades. Não conheço nenhuma escola tão completa, com tantas atividades sociais extra classe e que prepare o aluno tão bem para o que ele vai encontrar na faculdade”, finaliza.

Ex-aluno é destaque no cenário automotivo internacional

Estudo, responsabilidade e dedicação. Estas são as características principais que o ex-aluno José Augusto de Amorim ressalta como diferenciais que sua formação no Band proporcionou em sua vida profissional. Formado em 1995, José percorreu um trajeto de sucesso na área de comunicação, sempre unindo suas habilidades ao seu incansável interesse pela indústria automotiva.

jose_augusto1Formado pela Cásper Líbero em Jornalismo, o ex-aluno iniciou sua carreira como estagiário no Diário de São Paulo, onde permaneceu até poucos meses depois de sua formação. “Era um programa muito interessante: você passava por várias editorias. Sempre fui apaixonado por carros, então sabia que era a indústria automotiva que eu queria cobrir. Consegui que a maior parte do programa fosse na editoria de automóveis”, conta.

Depois dessa experiência, ele conseguiu um emprego como repórter na Folha de São Paulo, justamente na seção Veículos. Passados cinco anos no cargo, foi promovido a editor da seção, ficando responsável por selecionar as pautas a serem apuradas, pensar na abordagem para os novos carros que chegavam ao mercado, escolher as fotos que acompanhariam o texto e diagramar as páginas.

Buscando se aprofundar em uma área que julgava importante para a execução de seu trabalho, José investiu em uma pós-graduação. “Pesquisei sobre Ciências do Consumo Aplicadas, na ESPM, que me ajudou a entender muito como as pessoas, no caso, os meus leitores, compram”, explica. “Queria um novo rumo profissional e sabia que precisava de uma visão de negócios que eu não tinha, mas não queria abandonar os carros”, pontuou.

Depois de concluir seu MBA na Hult International Business School em Boston, em agosto de 2011, conseguiu emprego na Polk, uma empresa americana centenária que trabalha com dados para a indústria automotiva no mundo todo. “Fui contratado para fazer previsões de mercado em vários países latino-americanos, sendo o Brasil o mais importante. Ser brasileiro, ter trabalhado minha vida toda com automóveis e ter estudado nos EUA me ajudaram a conseguir essa vaga”, comenta José.

Hoje o ex-aluno exerce o cargo de analista chefe na empresa IHS Automotive. “Sem dúvida, a minha formação no Band fez um grande diferencial. O Bandeirantes é uma escola que exige muito dos alunos: você precisa estudar, ser responsável e ser dedicado. É a mesma coisa em qualquer empresa onde queira ter sucesso”, disse.

“Isso sem falar em todo o conhecimento que o Bandeirantes dá para seus alunos. Acho que muita gente só pensa no que usa todos os dias (Português ou Inglês, basicamente), mas não tem preço quando, por exemplo, estou lendo um artigo que me faz relembrar temas que aprendi nas aulas de Geografia ou Biologia”, conclui.

Destaque no mercado financeiro

É bastante comum encontrar pessoas diferenciadas no trabalho e, posteriormente, descobrir que estudaram no Band em outra época. Isso é muito gratificante, comenta o ex-aluno Marcello Siniscalchi, hoje trabalhando como CIO da Asset Management do Banco Itaú, cargo de grande prestígio na empresa.

marcello_siniscalchi_destaque

Formado no Colégio em 1992, Marcello traçou um caminho de sucesso no mercado financeiro, sem deixar de lado sua formação e capacitação contínua. Primeiramente formado como Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da USP, ingressou como trainee no Banco BBA Creditanstalt S/A, para depois atuar efetivamente como Superintendente de Fundos de Investimentos no setor de Investimentos da empresa.

Durante este período, dedicou-se à pós-graduação na Fundação Getúlio Vargas na área de Administração de Empresas com Ênfase em Banking, para depois dar lugar ao mestrado na Faculdade de Economia e Administração da USP (FEA – USP), com o tema “Modelagem Matemática para Finanças”.

Marcello ingressou, no ano de 2002, no Banco Itaú, onde trabalha atualmente. Hoje o ex-aluno atua como diretor responsável pelos investimentos em grande escala da empresa, no cargo de CIO (Chief Information Manager).

“Sem dúvida sou muito grato ao Colégio por tudo que aprendi e, mais do que tudo, a aprender a aprender”, comenta Marcello. “Além disso, é importante ressaltar que meus verdadeiros amigos, que tenho até hoje, foram desta época. Acho que isto diz muito”, completa.