Ex-aluno viaja pelo Brasil para conhecer realidade educacional

Com a aspiração maior de mudar o rumo da educação no Brasil, o ex-aluno Caio Dib, formado em 2008, iniciou um projeto pessoal bastante interessante: viajar por todo o Brasil conhecendo um pouco mais sobre a educação em cada canto do país e entrar em contato com as mais diferentes realidades. “No fim do ano passado, senti que precisava sair do escritório para conhecer as realidades brasileiras e para conhecer escolas que têm muito a nos ensinar. Se eu quero mudar a educação do Brasil, tenho que conhecê-la e conhecer as realidades do Brasil. Viajar, explorando o Brasil, é um meio interessante de aprender muito, abrir a cabeça e trocar idéias”, explica.

 

O estudante travou seu primeiro contato de pesquisa com o universo da educação durante sua faculdade de jornalismo e também como pesquisador do livro “Idade Mídia – A Comunicação Reinventada na Escola”; o estudante também foi estagiário do projeto extracurricular Idade Mídia.

A viagem é um projeto pessoal que o próprio ex-aluno intitulou de Caindo no Brasil, que conta com uma página própria no Facebook (facebook.com/caindonobrasil) e tem suas experiências relatadas nos blogs www.escolasdobrasil.blog.br e caindonobrasil.wordpress.com. Caio também financia suas próprias viagens, que se tornaram seu foco profissional no momento. “Está sendo uma experiência única. O aprendizado é diário. Conheço lugares e coisas novas, converso com muita gente e estou visitando vários projetos educacionais incríveis. Formei uma rede de amigos em todo o Brasil e conheci muita gente que está trabalhando para uma melhor educação ”, contou.

Ainda esse ano, Caio pretende escrever dois livros: um sobre a viagem como um todo, e outro sobre as mais interessantes experiências educacionais. Além disso, Caio ainda tem planos para continuar suas viagens, mas dessa vez para compartilhar seu aprendizado em alguns eventos educacionais pelo país. “Também espero continuar o mapeamento de práticas educacionais inspiradoras na cidade de São Paulo, trocar ideias e construir novos projetos com outras pessoas que fazem excelentes trabalhos com as diferentes realidades do país”, completa.

 

Matemática em Movimento

O reconhecimento da dificuldade da passagem nos grandes vestibulares e a consciência de que grande parte da população às vezes não tem condições de se preparar adequadamente para esse processo incentiva os alunos e ex-alunos a ajudar como podem.

Ex-aluna Lilian Parada

Lilian Parada

O projeto Matemática em Movimento, composto por estudantes da Escola Politécnica, nasceu com esse propósito: ajudar os alunos de Ensino Médio de escolas públicas a trabalhar alguns conceitos matemáticos muitas vezes não explorados da maneira correta para o vestibular. As estudantes fundadoras decidiram repassar seu conhecimento para jovens de muito potencial, porém com poucas oportunidades e pouca motivação, para que estes pudessem ter uma boa base para prestar o exame do vestibular e conseguir um bom resultado. Dentre os 12 voluntários que compõem o projeto, três são ex-alunas do Band: Lilian Parada, Veronica Gonsalez e Giovanna Campacci, formadas no colégio em 2009, 2008 e 2007 respectivamente.

Veronica Gonsalez

Veronica Gonsalez

Unidos com o propósito de ajudar a mudar a realidade desses jovens, os universitários elaboraram um modelo de curso preparatório para o vestibular que vai além de ensinar Matemática, propondo desafios de raciocínio, atividades culturais e outros eventos a fim de tornar o aprendizado mais interessante e dar maior dinamismo às aulas. Criado em 2012, o projeto tem como foco a juventude brasileira que não tem acesso a uma educação de qualidade.

Giovanna Campacci

Giovanna Campacci

A solidariedade, a multiplicação do conhecimento e o contato humano são atitudes que constam naturalmente em todos os envolvidos no projeto. “O modelo do nosso projeto ainda conta com um crescimento constante ano a ano no número de alunos e voluntários”, comenta Veronica Gonsalez.

“Eu acredito que o Bandeirantes foi fundamental para me dar uma base teórica para que eu passasse nos vestibulares”, explicou Veronica, cujo sonho sempre fora cursar Engenharia em uma grande universidade. “Mas, além disso, o Colégio nos incentivou a acreditar que qualquer projeto é possível através do trabalho. O Bandeirantes nos motiva a sermos criativos e perseverantes, o que foi muito importante no início do Matemática em Movimento”, contou.

Você pode ajudar o projeto de diversas maneiras, seja candidatando-se nos processos seletivos para ser voluntário; através de doações, que podem ser na forma de recursos financeiros ou qualquer bem que possa ser utilizado pelo projeto, ou simplesmente enviando alguma sugestão ou ideia para aprimoramento do grupo ou capacitação contínua de seus voluntários.

Para conhecer um pouco mais sobre o projeto ou entrar em contato com a equipe basta entrar no site do projeto: http://matematicaemmovimento.com.br